No ano passado (2017), se tem dados que nasceram 2.202.622 milhões de empreendimentos no Brasil (Serasa Experian). Segundo os dados dessa pesquisa este é o maior registro desde que o indicador passou a ser apurado, em 2010. Mas segundo o IBGE, pouco mais de 60% destas empresas fecharam as portas após os cinco primeiros anos, devido a fatores econômicos, inadimplência ou falta de planejamento. A falta de conhecimento sobre o mercado em que se situam, também é um grande fator para um resultado negativo.

Se investir em um novo negócio é algo que gera algumas inseguranças: vou conquistar espaço no mercado? Estou divulgando o meu produto ou serviço com eficiência? O que os consumidores acham do meu produto ou serviço? Como deveria ser o próximo passo? Será que vou conseguir alcançar meu objetivo? Estas são dúvidas comuns em empresas que não tem muitos dados e nem um bom conhecimento tanto do seu consumidor quando do mercado.

Com a incontrolável quantidade de opções e no mercado, muitas empresas perderam sua força, produtos saem de linha, dados que evidencia a importância de ter um contato mais profundo com os seu consumidor. Compreender o consumidor e a forma irracional do processo de tomada de decisão é o caminho para o desenvolvimento de propostas de valor ou recursos de produto para testar no mercado. Assim, as empresas que se anteciparem a esses dados e passarem a utilizá-lo, estarão em vantagem competitiva em relação ao resto do mercado.

Outra falta de conhecimento é a associação dos concorrentes a inimigos. Na atual plataforma do mercado, essa visão prejudica as organizações, que ignoram a possibilidade de estabelecer uma política de bom relacionamento com os concorrentes, fato que, em tempos de crise econômica pode ser benéfico.

Na atual conjuntura do mercado, ter o conhecimento sobre o que seu consumidor está querendo, o que o concorrente está fazendo, a opinião do seu consumidor sobre o seu produto ou serviço, e também como sua empresa está inserida no mercado é imprescindível para o crescimento e também a saúde do próprio empreendimento.

Hoje no Brasil existem mais de 9 milhões de micro e pequenas empresas (Sebrae). Isso mostra que vivemos em um cenário com possibilidade de crescimento nessa área.

Todavia, muitos desses estabelecimentos passam por dificuldades causadas por uma administração inadequada. Dessas dificuldades, muitas são consequência da falta de domínio das finanças, geradas por falta de um controle adequado do fluxo de caixa. É possível percebê-las atentando-se a alguns sintomas e, a partir daí identificar a causa dessas dificuldades.

Grande parte das empresas que vivem esse tipo de problema, não sabem ao certo quanto entra e quanto sai do seu negócio. É de extrema importância ter o conhecimento de suas despesas e faturamento pois, com essas informações, pode-se direcionar os investimentos da melhor maneira. Quanto maior o acesso de informação e conhecimento, mais certeiras serão as tomadas de decisão. Isso quer dizer que, ao levantar e estudar os dados do negócio, melhor será o seu desempenho e a sua administração.

Um fator comum nessas micro e pequenas empresas é a falta de conhecimento acerca do lucro que cada produto ou serviço traz para a empresa. Isso acontece muito também por falta de de atenção e análise do desempenho de cada produto ou serviço. É essencial saber de onde vem o seu lucro de forma discriminada, dessa forma, é possível direcionar os esforços para onde tem o maior retorno ou para onde deseja-se desenvolver. Mais uma vez, o domínio das finanças leva a uma melhor administração do empreendimento.

Outro fator presente nessas empresas é a falta de uma precificação adequada para os produtos ou serviços. Muitas vezes, esses negócios não possuem uma precificação ideal, e acabam utilizando os valores que encontram em concorrentes. Isso pode ser extremamente prejudicial, pois a precificação tem que estar alinhada com outros fatores e dados da empresa, como os citados acima, e esses fatores e dados variam de uma empresa para a outra. A ausência de uma precificação personalizada pode ser um dificultador no desenvolvimento da empresa.

Levando em consideração todos os pontos discutidos, conclui-se que é de extrema importância ter o domínio das finanças da empresa, e este está diretamente relacionado à saúde financeira do estabelecimento. A melhor maneira para se evitar e combater essas dificuldades é tendo um controle financeiro e um acompanhamento de qualidade com planilhas e levantamento de dados cruciais.

Para saber como tomar essas contra medidas e garantir a saúde financeira do seu empreendimento, acesse o conteúdo aqui.

Página 1 de 3