Risco de furtos;
Desperdícios;
Perdas;
Falta de produtos;
Ausência de controle;
Esses são alguns problemas que empreendedores podem encontrar ao não possuírem uma gestão de estoque na sua empresa. Em um mercado de pequenas e médias empresas, onde os recursos são geralmente escassos, ter domínio e controle sobre o fluxo dos materiais dentro da empresa é essencial.
A gestão de estoque muitas vezes é vista como uma atividade que não gera valor para a empresa, e dessa forma os gestores podem não atribuir a devida importância. Entretanto quando começam a identificar a perda de itens, aumento de custos ou perderem vendas venda por falta de produto, o prejuízo já foi computado.
O risco de Furtos é eminente em qualquer empresa, todas estão sujeitas. Segundo dados da Associação Brasileira de Segurança Orgânica (ABSO), 5% dos funcionários furtariam a empresa que trabalham caso tivessem uma oportunidade.
De acordo com estudos da Kroll (empresa de investigação americana), 74% das organizações sofreram pelo menos um episódio de fraude nos 12 meses anteriores da pesquisa. Sendo o roubo de estoque o principal tipo de fraude, representando 56% das ocorrências.
Caso a empresa não tenha uma gestão de estoque a identificação dos furtos é praticamente impossível, pois o gestor não possui um controle de materiais e sua movimentação dentro da empresa. Dessa forma o empreendedor fica vulnerável a futuras ocorrências. Com um sistema de gestão de estoque ao realizar um inventário as discrepâncias são identificadas facilmente.
Os desperdícios e perdas são consequências da ausência de gestão dos materiais, isso porque o gestor não tem conhecimento do giro de estoques dos produtos. Não ter conhecimento do consumo médio dos materiais pode fazer com que a empresa compre mais do que o necessário. Evitar desperdícios é essencial para que a empresa tenha um custo mais enxuto possível e maximize seu lucro.
A falta de produtos também pode ser consequência da ausência da gestão de estoque, o que gera um custo de venda perdida e perda de fidelidade dos clientes. Isso porque na ausência do produto o consumidor recorre a outros estabelecimentos e produtos substitutos. Caso o gestor não possua uma visão correta de sua capacidade e controle de materiais armazenados na empresa pode acabar comprando menos que sua demanda ou excedentes.
Para saber como prevenir desses problemas, ter um controle de materiais dentro da empresa e diminuir os custos do seu estabelecimento, acesse o conteúdo aqui.

Atualmente no processo de vendas são usados inúmeros tipos de técnicas e métodos para se ter sucesso, porém algumas delas realmente surtem real efeito e outras apenas prolongam ou aumentam a chance de um não. O pesquisador e vendedor Neils Rachman, após realizar um estudo com as vendas das maiores empresas do mundo conseguiu entender o que os vendedores de sucesso faziam em relação aos outros e percebeu um padrão. Com isso, desenvolveu-se um método que trouxe uma grande mudança no mundo das vendas que levou o nome de Spin Selling.
De acordo com essa metodologia, as primeiras perguntas que devem ser realizadas durante uma reunião dizem respeito à Situação do empreendimento. Isso quer dizer que, de início, deve–se entender sobre o cliente, o cenário e a área que o empreendimento está inserido e, principalmente, sobre a situação atual do mesmo. Além disso, segundo o pesquisador, perguntas deste tipo são extremamente importantes, porém deve–se fazer o mínimo dessas, já que elas são vistas como entediantes pelo comprador.
A segunda etapa dessa metodologia, diz respeito a perguntas de Problema, ou seja, investigar as dificuldades, as insatisfações do cliente e os gargalos do empreendimento. Elas geram vários insumos para o vendedor, na medida em que permitem estabelecer quais são as necessidades implícitas do comprador. Segundo Neils, esse tipo de pergunta é extremamente importante, apesar de não ser utilizada com tanta frequência.
A próxima etapa do SPIN Selling são as perguntas de Implicação, porém antes de iniciá–las é importante fazer um resumo sobre as respostas dadas pelo cliente. Após isso, pode–se iniciar o desdobramento dos problemas encontrados nas etapas anteriores. Elas permitem um aumento das necessidades implícitas dos clientes, além de que aumentam o impacto da falta de certo processo em outras áreas do empreendimento. No entanto, segundo o autor, o uso excessivo dessas perguntas pode afastar o cliente, então é muito importante saber até qual ponto é saudável realizá–las.
Por fim, a última etapa da metodologia são as perguntas de Necessidade de solução. Elas têm o intuito de tornar as necessidades implícitas geradas nas etapas anteriores em necessidades explícitas. Além disso, com o uso dessas perguntas se torna mais fácil ao comprador entender os benefícios que vão ser obtidos, caso esse adquira o serviço. No entanto, elas devem ser evitadas quando o vendedor não tem capacidade total de resolver os gargalos do empreendimento.
Dessa forma, tem–se desmembrado uma das técnicas mais usadas e de mais sucesso no meio dos negócios. Usá-la não só aumentará sua capacidade de vendas, assim como o tornará um vendedor diferenciado entre os demais. Para poder se aprofundar ainda mais sobre o assunto é de extrema valia ler o livro “Alcançando Excelência em Vendas - Spin Selling de Neils Hachman.

O que é uma empresa júnior?
Empresas juniores são associações constituídas exclusivamente por alunos, cujas operações são realizadas sem fins lucrativos no ambiente das instituições de ensino, onde investe-se na inciativa do Movimento Empresa Júnior (também conhecido como MEJ) como uma oportunidade de criar um elo de interação entre o ambiente acadêmico e o mercado de trabalho.
A finalidade de uma empresa júnior é gerar experiências de formação empreendedora, acadêmica e pessoal para os alunos, na medida em que os participantes dessas entidades desenvolvem soluções desafiadoras para o mercado que resultam em transformações expressivas nas empresas no que diz respeito ao aumento da organização, da padronização dos processos e, consequentemente, dos lucros.
A relação é feita com alto grau de profissionalismo, uma vez que as empresas juniores federadas à Brasil Júnior (confederação brasileira de empresas juniores) possuem cadastro de CNPJ, estatuto bem definido e contrato com direitos e deveres transparentes, que garantem um bom relacionamento entre o cliente e a empresa júnior. Além disso, o respeito ao Código de Ética do MEJ é encarado como uma parte importante da formação do empresário júnior.
Quais os diferenciais de uma empresa júnior?
As empresas juniores, como a Ápice Consultoria Jr., possuem diferenciais reconhecidos pelo mercado, como:
Apoio e infraestrutura
Uma vez que as empresas juniores estão vinculadas às instituições de ensino, os alunos têm acesso à infraestrutura de ponta para lidar com problemas complexos e diversos. Por exemplo, A Ápice está inserida na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG), que oferece acesso a mais de 900 mil títulos para consulta, sendo 38 mil fontes de bases internacionais de pesquisa.

Outro ponto que merece destaque é a presença de professores com nível de experiência no mercado de consultoria e alta titulação, que orientam a empresa júnior como um referencial na tomada de decisão nos projetos - o que confere ainda mais segurança quanto à consistência dos resultados junto aos clientes.

Alto valor, baixos custos
Uma característica das empresas juniores é que a participação é voluntária, ou seja, os membros não recebem remuneração financeira - as quantias obtidas por meio dos projetos são aplicadas da formação acadêmica dos alunos. Portanto, ao contratar uma empresa júnior, o empreendedor recebe um serviço de qualidade, com um preço mais baixo do que os praticados no mercado e ainda contribui para a educação brasileira.

Atendimento e serviço personalizado
Cada cliente possui diferentes demandas de soluções, portanto a equipe da Ápice Consultoria Jr. investe em treinamentos internos frequentes para melhor se preparar para diagnósticos que conduzam à projetos que reflitam a resolução das principais questões apontadas por nossos clientes. A proposta de consultoria é elaborada em conjunto com o cliente para garantir um serviço diferenciado e personalizado, ao contrário de outras opções do mercado como aplicativos, softwares ou planilhas prontas e repletas de funções que só complicam a vida do empreendedor.

Para saber mais sobre como a Ápice Consultoria Jr. pode te ajudar a atingir o próximo nível do seu negócio, agende uma reunião gratuita no próprio estabelecimento e teremos o prazer de te ouvir.

Página 1 de 4