No cenário atual do empreendedorismo brasileiro, o mercado apresenta-se extremamente competitivo e com maior necessidade de mudanças e investimentos. De 2014 até os dias de hoje o Brasil apresentou saldo negativo de empresas formais, ou seja, mais empresas foram fechadas que abertas no país, em estudo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Tal fato está diretamente relacionado com a falta de conhecimento das empresas na tentativa de realizar investimentos, uma vez que não possuem embasamento financeiro para concluir a sua viabilidade.

Como responder uma das perguntas mais recorrentes entre os empreendedores brasileiros “Devo ou não devo investir?”, “Será que vai dar certo?”.
O estudo de viabilidade econômica permite obter maior assertividade em investimentos e maior embasamento para a tomada de decisões, com maior segurança e desta forma aumentando a probabilidade de seu sucesso.

Mas como realizar o estudo de viabilidade econômica e financeira? Para realizar o estudo, é necessário seguir 4 etapas, sendo elas:

Projeção de receitas;
Projeção de custos e despesas;
Projeção de fluxo de caixa;
Análise dos indicadores;

Projeção de receitas

A projeção de receitas é realizada com o intuito de se compreender o quanto de capital pode ser gerado para o investidor. Essa projeção é realizada através de uma pesquisa de mercado a fim de se identificar os objetivos do cliente em relação ao seu empreendimento. Realiza-se um estudo da concorrência, identificando os players similares ao negócio que se estuda e analisando seu modelo de negócio.
Após finalizadas a pesquisa de mercado e de concorrentes, calcula-se a demanda decorrente de tais números e realiza-se a precificação dos produtos a serem vendidos.
Por fim, é feita a projeção de receita para para o período atual, e calcula-se uma projeção a longo prazo de 5 a 10 anos após o período atual.

Projeção de custos e despesas

Para a realização da projeção de custos e despesas, inicialmente é determinado o CAPEX da empresa (custos relacionados à aquisição de equipamentos). É basicamente o ponto de início para se estabelecer os gastos de capital para o funcionamento da empresa. Posteriormente, determina-se o OPEX (gastos cotidianos). Com os CAPEX e OPEX já definidos, é possível realizar a projeção de custos e despesas, também em um período de 5 a 10 anos após o seu início.

Projeção de fluxo de caixa

A partir das projeções de receitas e de custos e despesas já realizadas, faz-se a união das duas a fim de se definir o fluxo de caixa para o período projetado. Para sua realização, leva-se em conta a TMA (Taxa Mínima de Atratividade) ao projetar os valores para o futuro.

Análise dos indicadores

É considerada uma das etapas mais importantes da análise de viabilidade. É o momento em que é determinado se o investimento será viável ou não. Basicamente, realiza-se um estudo de indicadores financeiros para análise de investimentos, tais como VPL, Payback e TIR, que permitem determinar a taxa de retorno do investimento e sua rentabilidade.

Pode-se concluir, que o estudo de viabilidade econômica é de suma importância para empreendimentos, tanto em investimentos de empresas já existentes, quanto para empresas que vão abrir. É extremamente importante projetar financeiramente seu negócio a médio e longo prazo, aumentando a probabilidade de seu sucesso e evitando enfrentar ameaças que poderiam ter sido previstas com antecedência.