Geralmente, ao abrir um negócio, o empreendedor está preocupado em realizar atividades no curto prazo que garantam a manutenção da estrutura organizacional, mas percebe-se que, com o amadurecimento da empresa, é necessário traçar objetivos e indicadores em um horizonte de tempo maior, de modo que a estratégia organizacional se mostra uma importante chave para a evolução empresarial. Um formato que auxilia a definição e comunicação da estratégia, de modo a ser mais bem internalizada pela estrutura organizacional, dá-se pelo planejamento estratégico.

Qual a importância de um planejamento estratégico?

Como defendido pela referência em empreendedorismo Simon Sinek, notório por sua TED Talk de 2009 “Como grandes líderes inspiram ação”, as empresas precisam conhecer o seu “porquê”, ou seja, entender o seu propósito para comunicarem melhor a sua identidade aos seus colaboradores e clientes e, assim, criar relações genuínas que levem à lealdade. Para Simon Sinek, “as pessoas não compram o que você faz, mas porquê você faz!”

Existem perguntas-chave que podem ser feitas para que possamos dar os primeiros passos rumo ao entendimento do posicionamento da empresa:

Quais são os fatores que compõem a cultura do empreendimento?

Qual mensagem a empresa quer passar para o mundo?

Quais comportamentos são buscados nos funcionários?

Onde a empresa quer chegar?

Entretanto, não basta definir o ponto de partida, é preciso acompanhar a performance da estrutura organizacional por meio de ferramentas de medição e gestão de desempenho baseada em indicadores. Um exemplo de ferramenta difundido internacionalmente é o BSC, abreviatura para o Balanced Scorecard.

Criado por Kaplan e Norton - professores da Harvard Business School - o BSC tem se mostrado uma ferramenta poderosa, com literatura difundida sobre o assunto e de grande valia para os empreendedores, na medida que permite ao corpo estratégico da estrutura organizacional orientar a sua tomada de decisões e visualizar de forma mais assertiva a performance geral, baseada em indicadores.

É possível categorizar o BSC em 04 diferentes perspectivas: Aprendizagem e Crescimento, Processos Internos, Clientes e Financeira. Tal desmembramento se mostra valioso para garantir que a estrutura organizacional considere vários aspectos ao definir indicadores, ao contrário da prática comum de se preocupar apenas com métricas relacionadas à saúde financeira da empresa. Assim, é possível garantir um crescimento equilibrado de todas as áreas da empresa, de modo a minimizar tomadas de decisão desalinhadas com a estratégia global.