Geralmente, ao abrir um negócio, o empreendedor está preocupado em realizar atividades no curto prazo que garantam a manutenção da estrutura organizacional, mas percebe-se que, com o amadurecimento da empresa, é necessário traçar objetivos e indicadores em um horizonte de tempo maior, de modo que a estratégia organizacional se mostra uma importante chave para a evolução empresarial. Um formato que auxilia a definição e comunicação da estratégia, de modo a ser mais bem internalizada pela estrutura organizacional, dá-se pelo planejamento estratégico.

Qual a importância de um planejamento estratégico?

Como defendido pela referência em empreendedorismo Simon Sinek, notório por sua TED Talk de 2009 “Como grandes líderes inspiram ação”, as empresas precisam conhecer o seu “porquê”, ou seja, entender o seu propósito para comunicarem melhor a sua identidade aos seus colaboradores e clientes e, assim, criar relações genuínas que levem à lealdade. Para Simon Sinek, “as pessoas não compram o que você faz, mas porquê você faz!”

Existem perguntas-chave que podem ser feitas para que possamos dar os primeiros passos rumo ao entendimento do posicionamento da empresa:

Quais são os fatores que compõem a cultura do empreendimento?

Qual mensagem a empresa quer passar para o mundo?

Quais comportamentos são buscados nos funcionários?

Onde a empresa quer chegar?

Entretanto, não basta definir o ponto de partida, é preciso acompanhar a performance da estrutura organizacional por meio de ferramentas de medição e gestão de desempenho baseada em indicadores. Um exemplo de ferramenta difundido internacionalmente é o BSC, abreviatura para o Balanced Scorecard.

Criado por Kaplan e Norton - professores da Harvard Business School - o BSC tem se mostrado uma ferramenta poderosa, com literatura difundida sobre o assunto e de grande valia para os empreendedores, na medida que permite ao corpo estratégico da estrutura organizacional orientar a sua tomada de decisões e visualizar de forma mais assertiva a performance geral, baseada em indicadores.

É possível categorizar o BSC em 04 diferentes perspectivas: Aprendizagem e Crescimento, Processos Internos, Clientes e Financeira. Tal desmembramento se mostra valioso para garantir que a estrutura organizacional considere vários aspectos ao definir indicadores, ao contrário da prática comum de se preocupar apenas com métricas relacionadas à saúde financeira da empresa. Assim, é possível garantir um crescimento equilibrado de todas as áreas da empresa, de modo a minimizar tomadas de decisão desalinhadas com a estratégia global.

 

No cenário atual do empreendedorismo brasileiro, o mercado apresenta-se extremamente competitivo e com maior necessidade de mudanças e investimentos. De 2014 até os dias de hoje o Brasil apresentou saldo negativo de empresas formais, ou seja, mais empresas foram fechadas que abertas no país, em estudo realizado pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Tal fato está diretamente relacionado com a falta de conhecimento das empresas na tentativa de realizar investimentos, uma vez que não possuem embasamento financeiro para concluir a sua viabilidade.

Como responder uma das perguntas mais recorrentes entre os empreendedores brasileiros “Devo ou não devo investir?”, “Será que vai dar certo?”.
O estudo de viabilidade econômica permite obter maior assertividade em investimentos e maior embasamento para a tomada de decisões, com maior segurança e desta forma aumentando a probabilidade de seu sucesso.

Mas como realizar o estudo de viabilidade econômica e financeira? Para realizar o estudo, é necessário seguir 4 etapas, sendo elas:

Projeção de receitas;
Projeção de custos e despesas;
Projeção de fluxo de caixa;
Análise dos indicadores;

Projeção de receitas

A projeção de receitas é realizada com o intuito de se compreender o quanto de capital pode ser gerado para o investidor. Essa projeção é realizada através de uma pesquisa de mercado a fim de se identificar os objetivos do cliente em relação ao seu empreendimento. Realiza-se um estudo da concorrência, identificando os players similares ao negócio que se estuda e analisando seu modelo de negócio.
Após finalizadas a pesquisa de mercado e de concorrentes, calcula-se a demanda decorrente de tais números e realiza-se a precificação dos produtos a serem vendidos.
Por fim, é feita a projeção de receita para para o período atual, e calcula-se uma projeção a longo prazo de 5 a 10 anos após o período atual.

Projeção de custos e despesas

Para a realização da projeção de custos e despesas, inicialmente é determinado o CAPEX da empresa (custos relacionados à aquisição de equipamentos). É basicamente o ponto de início para se estabelecer os gastos de capital para o funcionamento da empresa. Posteriormente, determina-se o OPEX (gastos cotidianos). Com os CAPEX e OPEX já definidos, é possível realizar a projeção de custos e despesas, também em um período de 5 a 10 anos após o seu início.

Projeção de fluxo de caixa

A partir das projeções de receitas e de custos e despesas já realizadas, faz-se a união das duas a fim de se definir o fluxo de caixa para o período projetado. Para sua realização, leva-se em conta a TMA (Taxa Mínima de Atratividade) ao projetar os valores para o futuro.

Análise dos indicadores

É considerada uma das etapas mais importantes da análise de viabilidade. É o momento em que é determinado se o investimento será viável ou não. Basicamente, realiza-se um estudo de indicadores financeiros para análise de investimentos, tais como VPL, Payback e TIR, que permitem determinar a taxa de retorno do investimento e sua rentabilidade.

Pode-se concluir, que o estudo de viabilidade econômica é de suma importância para empreendimentos, tanto em investimentos de empresas já existentes, quanto para empresas que vão abrir. É extremamente importante projetar financeiramente seu negócio a médio e longo prazo, aumentando a probabilidade de seu sucesso e evitando enfrentar ameaças que poderiam ter sido previstas com antecedência.

Uma vez que uma empresa que não controla o seu caixa é uma empresa que não tem muito conhecimento da sua situação financeira e que, segundo o Sebrae, algumas ações que você precisa ter para seu negócio continuar em funcionamento são baseadas em ter o conhecimento de como sua empresa está funcionando, quanto ela está custando, como estão os seus preços, como você se posiciona no mercado e, principalmente, o quão rentável ela está sendo para você, a Ápice Consultoria Júnior consegue te ajudar a ter um melhor conhecimento do seu negócio.

Com base nisso nós conseguimos, junto a você, fazer uma análise do seu fluxo de caixa, permitindo que sua empresa tenha um maior controle sobre seus gastos, facilitando então que você melhore ainda mais seu posicionamento e reconhecimento no mercado.

Um bom exemplo da importância do controle financeiro é que, como já citado em outros textos aqui do blog (linkar ToFu e MeFu), grande parte das microempresas fecharam suas portas por falta de uma boa administração financeiras. Com isso, com a ajuda da Ápice sua empresa terá acesso a um fluxo de caixa mais visual e automatizado, permitindo que você tenha total controle de seus gastos, dando o melhor conhecimento de onde podemos estar atuando, juntos, de forma que você consiga direcionar mais recursos às atividades mais rentáveis.

Uma outra resposta de um controle de gastos e análise do fluxo de caixa, bem feitos, é a própria alteração da precificação, visto que é muito comum que os pequenos e médios empreendedores calculem seus preços com base apenas nos seus concorrentes, deixando de considerar seus gastos. Contudo, a própria Endeavor nos diz que essa metodologia de cálculo não é a mais correta e que deve-se levar mais coisas em conta. Graças à toda aquela análise mencionada anteriormente, nós, da Ápice, somos capazes de analisar os outros pontos, realizando a precificação da forma correta.

Vale lembrar que somos uma empresa que trabalha com a particularidade de cada cliente, ou seja, podemos ajudar você e sua empresa de diversas formas, nossos projetos não têm etapas 100% fixas, podendo encaixar na sua realidade. Uma vez que você chegou até aqui, entre em contato conosco por meio de nosso e-mail (colocar e-mail) ou telefone!